Apagando o incêndio: como funciona o extintor de incêndio

1- Cada extintor de incêndio possui um lacre na alavanca, que é puxado para ser solto antes do uso. Após romper o lacre e pressionar a alavanca, uma barra chamada de haste de ativação é movimentada para baixo

2- Ao ser movimentada para baixo, a haste, que possui uma ponta afiada na outra ponta, faz com que seja aberto um tubo de gás comprimido(geralmente gás carbônico) presente dentro do extintor. Se a alavanca deixa de ser pressionada, a abertura é fechada

3 – Uma vez liberado, o gás comprimido é solto pela a parte de cima do tubo e se expande rapidamente dentro do cilindro. A expansão do gás faz com que o agente do extintor seja pressionado para baixo,  fazendo com que o material seja forçado a sair pela a mangueira.

4- Para que haja um combate mais precioso do fogo é recomendado que o usuário agite o extintor de um lado para outro. O jato de um extintor comum dura em média 60 segundos, sendo recomendado para incêndios pequenos.

Por dentro de um extintor (Clique na imagem para ampliar)

A qualidade do extintor é medido pelo manômetro. Se  o ponteiro do manômetro estiver marcado no verde, significa que a pressão interna dentro do equipamento está correta, ou seja, o extintor está pronto para o uso. É importante ficar atento a data de validade: a cada doze meses o cilindro precisa ser verificado, pois o agente do extintor pode estar estragado.

No total existem quatro tipos de extintores. São eles:

Tipo A – combate fogo alimentado por madeira, papel, papelão e tecidos. Os extintores do tipo A são compostos por água.

Tipo B – combate líquidos inflamáveis. São compostos por pó químico.

Tipo C – combate incêndios causados por equipamentos elétricos. Os extintores do tipo C são composto por gás carbônico.

Tipo D – combate fogo causado por metais inflamáveis. São compostos por pó químico especial.